Voltar

O que podemos fazer?

Cartão S.O.S. Oceano

Para o consumo sustentável de peixe e mariscos
Guia de bolso para as melhores escolhas de peixes e mariscos em Portugal

Os ecossistemas marinhos enfrentam atualmente diversas ameaças. Algumas são evidentes para a maioria das pessoas, como por exemplo a poluição, mas existem outras que são menos evidentes para o público em geral, como a sobrepesca.

Tal como o nome indica, sobrepesca significa pesca "em excesso", ou seja, estamos a pescar mais peixes do que o que devíamos. Os dados são preocupantes: mais de 70% das espécies de peixe de todo o mundo são sobrepescadas.

A boa notícia é que há medidas que estão ao alcance de todos!

Para que todos os Portugueses e até mesmo os estrangeiros que visitam Portugal possam optar pelo consumo sustentável, fazendo escolhas acertadas no momento de aquisição de peixes e marisco, o Oceanário de Lisboa criou o cartão S.O.S. Oceano. Este cartão facilita a escolha do consumidor indicando-lhe os peixes e mariscos que pode consumir sem comprometer o futuro dos oceanos.

O cartão de bolso S.O.S. Oceano é um guia de fácil consulta com inúmeras sugestões para um oceano sustentável.

O cartão S.O.S. Oceano inclui também informação relacionada com a saúde humana, como peixes com baixo teor em colesterol, boa fonte de Ω3, magnésio ou potássio e peixes que potencialmente acumulam metais pesados.

O fututo dos oceanos depende das nossas escolhas.

Faça download do Cartão SOS Oceano

Régua "Deixem-me crescer"

Régua

O consumo de peixe de origem não sustentável é uma das principais ameaças à biodiversidade marinha. Atualmente, 90% dos stocks de peixe encontram-se completamente explorados ou sobre-explorados, sendo que a captura intencional ou acidental de indivíduos ainda juvenis, que não atingiram a maturidade sexual, contribui drasticamente para este problema.

O limite mínimo legal de captura das espécies marinhas define o tamanho mínimo com que as diferentes espécies devem ser capturadas, de forma a atingirem a maturidade sexual. Por exemplo, a sardinha só pode ser capturada a partir dos 11 centímetros, pois considera-se que com esse tamanho já atingiu a idade em que se consegue reproduzir. Permitir que os organismos marinhos cresçam e se reproduzam é essencial para manter o equilíbrio das populações.

Através da alteração dos nossos comportamentos, podemos contribuir para combater esta ameaça. A régua "Deixem-me crescer", do Oceanário de Lisboa, apresenta os diferentes tamanhos mínimos de captura de 22 espécies comerciais, incluindo várias espécies de peixes e outros organismos, como lagosta, sapateira, choco ou polvo.

Ao consultar a régua "Deixem-me crescer" fica a conhecer qual o comprimento mínimo com que deve adquirir os peixes que consome, qual o peso que o polvo tem de atingir para poder ser capturado ou qual a largura que a carapaça de uma sapateira deve ter, para que possa ser pescada.

Conhecer e respeitar o tamanho mínimo legal de captura das espécies marinhas está ao alcance de qualquer consumidor e é um importante contributo para a sustentabilidade do oceano. 

Clique aqui e consulte a régua "Deixem-me crescer"

Lista ecoatitudes

Tente aplicar a nossa lista de ecoatitudes mês após mês

Lista Eco-Atitudes

Utilize o seu poder de compra de forma eco-consciente

Sempre que possível, compre alimentos da época e provenientes de produtores locais.

Evite produtos demasiado embalados
Escolha embalagens grandes e com o mínimo de desperdício de papel e plástico.

Ideias brilhantes
As lâmpadas de baixo consumo usam 80% menos eletricidade do que as lâmpadas tradicionais. Uma lâmpada de baixo consumo de 11W produz a mesma quantidade de energia que uma lâmpada tradicional de 60W.

Dê o litro por uma boa causa
Sabia que um banho gasta 30-80 litros de água, comparado com os 15-35 litros usados num duche normal?

Vá pela sombra
Plante árvores que forneçam sombra no verão. As árvores de folha caduca permitem obter sombra apenas no verão, sem comprometerem a iluminação natural.

Eco-chic
Da próxima vez que for ao supermercado, leve um saco de pano e não se esqueça de reutilizar os sacos de plástico. Se usar 20 sacos novos de plástico por mês, estará a aumentar as emissões de carbono em cerca de 15 kg de CO2/ano.

Pela saúde do planeta
Entregue radiografias antigas e embalagens de medicamentos fora do prazo de validade na sua farmácia.

Travel light
Não faça do carro um armazém móvel: 100 kg de carga podem aumentar o consumo de combustível em mais 1L por 100 km. Ao fim de 15.000 km, estes quilos extra são responsáveis pela emissão de 24 kg de CO2 e por mais 180 euros na fatura do combustível.

Recursos naturais: os dois lados da moeda
Utilize sempre os dois lados das suas folhas de papel e imprima e-mails e documentos apenas quando necessário.

Inaugure um novo ciclo em sua casa
Separe e recicle papel, vidro, plástico, cortiça, pilhas e óleo alimentar.

Vivam os gorros, as luvas e as camisolas de lã
Evite o uso de ar condicionado pois, para além de conseguir poupar, baixa o consumo de energia e contribui para a redução das emissões de CO2.

Clique aqui para descarregar a lista de Eco-Atitudes

Aplicação "Biodiversity is us"



Biodiversity is us é o nome da aplicação para smartphones criada pela WAZA, no âmbito da década das Nações Unidas para a Biodiversidade. Esta aplicação visa promover a sensibilização e o envolvimento do público em geral para a necessidade de proteger e preservar a biodiversidade existente.
Biodiversity is us integra informação sobre 400 espécies, como o estatuto de conservação e ações que estão ao alcance de todos para preservar a biodiversidade. A aplicação conta, ainda, com jogos interativos, quizzes e informação sobre o papel dos zoos e aquários na investigação, educação e conservação. Os conteúdos disponíveis na aplicação podem ser partilhados nas redes sociais.

O Oceanário de Lisboa é parceiro deste projeto, tendo colaborado nos conteúdos em português existentes na aplicação.




BD "Reportagem especial" | Alterações climáticas

Para conhecer o impacto das alterações climáticas a nível local, em Portugal, faça download gratuito da obra de banda desenhada "Reportagem Especial". A BD é da autoria do biólogo e comunicador de ciência Bruno Pinto, do ilustrador Penim Loureiro e do colorista Quico Nogueira.

BD Reportagem especial_alterações climáticas