1ª Edição

Fundo para a Conservação dos Oceanos | Oceanário de Lisboa e Fundação Oceano Azul

Sob o tema “Raias e tubarões. Da escuridão para a luz da ciência”, a 1ª Edição financiou três projetos, no valor total de 100 mil euros e que têm como objetivo contribuir para a conservação destas espécies (raias e tubarões). Esta iniciativa procura consciencializar para a importância da conservação deste grupo de peixes, um dos mais ameaçados à escala global.

Conheça os projetos vencedores da 1ª Edição:

IslandShark

Valor de financiamento: 24.000,00€

A sobrevivência de tubarões e raias deve ser uma prioridade na conservação de espécies marinhas, devido à sua vulnerabilidade e reduzida resiliência à sobre-exploração.

As agências internacionais, responsáveis pela conservação destas espécies, têm alertado para a necessidade de integrar habitats essenciais (HE), em particular as áreas de maternidade, nos planos de gestão. No entanto, este esforço "esbarra" no atual desconhecimento da importância dos potenciais HE para as populações Atlânticas e dos eventuais impactos da pesca.

Com o projeto lslandShark - Oceanic lslands as Essential Habitat for migratory sharks, da Universidade dos Açores | OMA- Observatório do Mar dos Açores, pretende-se responder à questão: existem áreas de parto ou maternidade de tubarões migratórios nos Arquipélagos da Macaronésia, e qual o seu papel para a resiliência das populações do Atlântico?

O projeto propõe um plano de investigação centrado em duas espécies-chave migratórias e vulneráveis, mas de características ecológicas e comportamentais distintas: o tubarão-martelo e o cação. O plano de investigação pretende:

| Combinar abordagens e técnicas clássicas (experiências de pesca e amostragem) com censos visuais remotos por vídeo subaquático e aéreo, biotelemetria (acústica e de satélite), genómica e modelação complexa para compreender o seu comportamento espacial a diferentes escalas espaço-temporais e para mapear os seus HE;

| Aproveitar o excecional posicionamento dos Açores para a investigação de tubarões nos seus habitats;

| Beneficiar diretamente das bases de dados e amostras já existentes, através da experiência da equipa nas áreas de investigação propostas.

O plano baseia-se na utilização de técnicas não-invasivas e não-letais, uma questão essencial para o bem-estar e manuseamento de espécies ameaçadas, e na aplicação de tecnologia de última geração em biotelemetria e genómica.

FindRayShark

FindRayShark | FUNDO para a Conservação dos Oceanos | Oceanário de Lisboa e Fundação Oceano Azul

Foto: Miguel Pais, FindRayShark

Valor de financiamento: 49.000,00€

As raias e os tubarões estão em risco de extinção, pois as suas características tornam-nos vulneráveis, sendo especialmente ameaçados pela sobrepesca. Apesar de décadas de investigação, o conhecimento ainda é limitado e impede a nossa capacidade de os proteger. 

O projeto FindRayShark - Applying innovative technologies to the conservation of rays and sharks, do MARE- Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, pretende contribuir para a conservação de raias e tubarões a nível mundial, através da avaliação das suas populações, implementando uma abordagem tecnológica inovadora e não-invasiva. Esta abordagem irá contribuir também para melhorar a gestão de habitats e recursos marinhos e sensibilizar o público.

As raias e tubarões são mais ameaçadas no Nordeste Atlântico do que mundialmente. Assim, este projeto pretende focar duas áreas desta região para testar a abordagem em diferentes contextos: Açores (onde são mais comuns as raias e tubarões) e nas Berlengas (onde as observações destes animais são raras).

O projeto tem três objetivos:

| Avaliar a presença, abundância e tamanho de raias e tubarões e avaliar o seu valor em diferentes contextos;

| Propor ações de gestão e guias de boas-práticas adequadas ao contexto da área de estudo;

| Sensibilizar diferentes públicos-alvo, através de diversas atividades de disseminação, usando os resultados do projeto.

O projeto FindRayShark pretende ter um elevado impacto positivo científico e social, ao desenvolver métodos tecnológicos não-invasivos para estudar raias e tubarões e, ainda, ao envolver as partes interessadas e o público na nossa responsabilidade partilhada de salvaguardar estas espécies marinhas e o seu importante papel no funcionamento dos ecossistemas.

FindRayShark no Congresso Ibérico de Ictiologia 2018 | Poster

Shark Attract

Shark Attract | FUNDO para a Conservação dos Oceanos | Oceanário de Lisboa e Fundação Oceano Azul

Foto: Shark Attract

Valor de financiamento: 27.000,00€

A pesca tem sido reconhecida como o principal fator de declínio das populações de tubarões e raias a nível mundial. As características biológicas e ecológicas da maioria das espécies deste grupo de peixes, em particular a sua baixa fecundidade, crescimento lento, maturação tardia, o facto de serem predadores de topo, entre muitos outros, faz com que dificilmente a sua captura, quer como espécies-alvo, quer como espécies acessórias, seja sustentável.

O projeto Shark Attract - Sharks and rays conservation by enhancing awareness within fishermen communities and society, do MARE- Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, tem como principais objetivos:

| Promover a conservação destas espécies, criando e promovendo uma consciência ecológica sobre tubarões e raias, através de ações e atividades especialmente desenhadas para atingir determinados públicos-alvo: pescadores profissionais e lúdicos, jovens em idade escolar, público em geral e gestores e quadros-técnicos da administração pública, cuja atividade se relaciona com o ambiente marinho e a conservação destas espécies.

| Analisar dados da pesca, já existentes, bem como recolher novos dados relativos às pescas não declaradas, à pesca ilegal ou ao volume de rejeições;

| Envolver os pescadores em ações de divulgação de conhecimento científico, onde será promovida a sensibilização para a conservação deste grupo de peixes;

| Desenvolver ações de educação informal, especialmente concebidas e realizadas para outros grupos populacionais.

Espera-se que este projeto gere um conhecimento sólido sobre a situação das pescas de tubarões e raias em Portugal, que identifique formas de mitigar os seus impactos e que aumente o interesse por estas espécies, cuja maioria está fortemente ameaçada.

ESCOLHA MUDAR
COMPRA SUSTENTÁVEL

#SeaTheFuture